boobox

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Estranhos casos médicos

Thimethylaminuria

Thimethylaminuria é uma desordem metabólica rara que causa um defeito em uma determinada enzima que quebra a trimetilamina. Quem sofre da doença começa a liberar o composto através de seu suor, urina e outros fluidos corporais. O resultado? Um persistente odor que lembra peixe podre. A má notícia? A doença é incurável. A boa notícia? Além do odor, a doença não tem outro efeito visível sobre o corpo, além do psicológico, e o odor pode ser controlado com uma dieta de baixa proteína que limita o consumo de colina, um aminoácido (embora tenha havido casos em que não deu certo).
Fato interessante: Na peça de William Shakespeare, “A Tempestade”, um de seus personagens, Caliban, o morador socialmente rejeitado da ilha, apresentava sintomas da “síndrome do odor de peixe”, como evidenciado pelas seguintes linhas: “O que temos aqui? Um homem ou um peixe? Morto ou vivo? Ele cheira como um peixe, um cheiro de um peixe muito antigo e…”. Isso pode sugerir que a doença era conhecida na época. Na realidade, o primeiro caso registrado de Trimethylaminuria na literatura médica aconteceu na década de 1970.

Sobreviveu à raiva sem vacinação

Jeanna Giese tinha 15 anos quando foi mordida por um morcego, e infectada com o vírus da raiva. Ela não tinha tomado vacina anti-rábica. Como o ferimento tinha sido superficial, ela não procurou ajuda médica até 37 dias mais tarde, quando o vírus começou a atacar o seu corpo. A doença evoluiu tão rápido que ela foi diagnosticada em um estado de quase-coma. Mas em vez de desistir, seu médico tentou um tratamento novo. Deu-lhe um coquetel de drogas que induzem um coma, para preservar o cérebro do vírus. Isso deu tempo ao sistema imunológico de Jeanna para lutar contra a doença mortal. 31 dias depois, ela foi declarada livre da raiva. Embora o tratamento a tenha deixado com algum dano cerebral, a menina respondeu à terapia de reabilitação e se recuperou rapidamente, para surpresa de seus médicos.
Fato interessante: O tratamento experimental usado, chamado Protocolo de Milwaukee, está em julgamento. Até agora, 2 pacientes de 25 foram curados dessa forma. No entanto, houve algumas controvérsias quanto à sobrevida de Jeanna, uma das quais é que ela foi infectada de uma forma mais fraca, o que afetou significativamente a sua resposta ao tratamento.

Bebê com uma máscara

Um menino na China nasceu com uma fenda facial transversal que cruzava o seu rosto de orelha a orelha, dividindo seu rosto em duas partes e dando-lhe a ilusão de que ele estava usando uma máscara. A causa do defeito do bebê ainda é indeterminada, mas uma infecção pode ser a culpada. Embora o tratamento para corrigir a fissura seja terrivelmente caro, a família foi capaz de suavizar a doença do filho.
Fato interessante: as fendas faciais são, comparativamente, mais raras que fissura labial ou palatina, mas têm origens parecidas: são causadas pela fusão incompleta dos ossos faciais dos bebês durante a concepção.

Bebê do fígado

Na África do Sul, uma mulher deu à luz a uma menina não pelo seu útero, mas em seu fígado. A estranha gravidez pode ser causada pela queda do embrião da trompa de Falópio, em seguida unindo-se ao fígado. Como o fígado é uma fonte rica de alimento para o embrião, a gestação continuou normalmente. Embora bebês desenvolvidos fora do útero geralmente morram dentro de algumas semanas, Nhlahla (‘sorte’ em zulu) parece ser perfeitamente saudável.
Fato interessante: Há apenas 14 casos documentados de bebês concebidos no fígado. Destes, apenas 4 sobreviveram à gestação (incluindo Nhlahla).

Pele perdida

Depois de tomar por dez dias um antibiótico para tratar uma infecção, Sarah Yeargain ficou chocada quando começou a descamar. Inchou, manchas pequenas surgiram em seu rosto e apareceram bolhas na boca. Em seguida, surgiram bolhas por todo o rosto, no peito e nos braços. Dois dias depois, ela perdeu toda a pele de seu corpo, incluindo seus órgãos internos e as membranas nos olhos, boca e garganta. Os médicos lhe cobriram o corpo inteiro com transcyte, um substituto da pele artificial, e lhe deram alguns medicamentos para controlar a hemorragia interna. Sarah milagrosamente se recuperou, e dentro de uma semana sua pele cresceu novamente. A causa da perda de pele pode ter sido necrólise epidérmica tóxica, que é basicamente uma reação alérgica grave ao antibiótico que ela tomou.
Fato interessante: Fãs da série de TV “House” devem se lembrar do episódio da 5ª Temporada (intitulado “Under My Skin”) onde um paciente apresentou necrose epidérmica tóxica.

Chave no cérebro

Com 17 meses de idade, Nicholas Holderman estava brincando com seus dois irmãos mais velhos quando caiu em cima de chaves de carro. Uma delas perfurou seu olho e fez todo o caminho até seu cérebro. A mãe imediatamente ligou para emergência, e Nicholas foi de helicóptero para uma unidade médica. A equipe médica conseguiu remover a chave com sucesso sem causar danos ao seu cérebro, embora a visão de Nicholas tenha sido totalmente afetada.
Fato interessante: Um incidente muito similar, mas menos grave, ocorreu em um restaurante em Minnesota em julho de 2007, quando um rapaz não identificado caiu acidentalmente em cima do garfo que segurava. Felizmente, o garfo só atravessou seu nariz, e foi removido com êxito com poucos danos em seu rosto.

Cabeça recolocada


Em 2002, Marcos Parra se envolveu em um acidente de carro que deixou seu crânio separado de sua coluna cervical, em uma condição chamada decapitação interna. Apenas os ligamentos de seu pescoço estavam conectando sua cabeça com o seu corpo, mas sua medula espinhal e as artérias estavam intactas. Uma equipe médica salvou sua vida realizando uma operação inovadora na qual dois parafusos cirúrgicos foram usados para prender a cabeça de Parra a sua espinha. Por incrível que pareça, a operação arriscada funcionou.
Fato interessante: Há uma história semelhante a esta. Ricky Barker também foi internamente decapitado após um acidente onde sua moto colidiu com um carro. Três meses depois, Barker saiu do hospital mancando, com um braço esquerdo paralisado e um furo em sua garganta (para que ele pudesse respirar) para lembrá-lo do acidente que quase tirou sua vida.

fonte: http://hypescience.com/10-contos-medicos-bizarros-e-fascinantes/

Nenhum comentário: