boobox

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Tá difícil

Tá difícil , além de estar estudando e fazendo outros trampos , curso , outro blog ,etc minha internet está uma lixo a uma semana , por isso fiquei tantos dias sem postar , mas aproveitei que hoje ela voltou ( mais ou menos) , pois ainda tá caindo toda hora , e coloquei mais de 20 posts novos , espero que gostem , valew

tirinhas

Tatuagens bizarras

Sexo no futuro


Fonte: mdig

Descoberto Sapo com dentes que come até pássaros

Sapo com presas (Limnonectes megastomias): Esta espécie fica à espreita de suas presas em riachos, e come até pássaros. Cientistas acreditam que os sapos também utilizam os dentes para lutar contra outros machos, já que muitos foram encontrados sem membros e com muitas cicatrizes.
Fonte: http://hypescience.com/21761-sapo-com-presas-e-outras-especies-bizarras-sao-descobertas/

Empregos estranhos

10. Bobo da corte
Todos já ouvimos falar e vimos em filmes os bobos da corte, que tinham a permissão de tirar sarro de todos, até do rei, se ele achasse engraçado, é claro. Hoje em dia o emprego não existe mais, e sumiu da maior parte dos reinos há muitos séculos. Curiosamente, até 1999, o reino de Tonga, na Polinésia, tinha um bobo da corte oficial. O mais bizarro é que o bobo, que era conselheiro financeiro do governo, se envolveu em um escândalo político.

9. Toshers e Mudlarks

Esse trabalho sujo ficou bastante popular na época vitoriana em Londres, na Inglaterra. Pessoas conhecidas como “toshers” procuravam nos esgotos da cidade por jóias e pequenos objetos que poderiam vender. Na época, era comum ver famílias inteiras procurando por pequenas riquezas nos esgotos. Obviamente, essas pessoas não eram muito bem quistas pelos vizinhos. afinal, o cheirinho de esgoto não é dos melhores.
Já os “mudlarks” faziam um trabalho semelhante, só que nas margens do rio Tâmisa, que corta a cidade de Londres. Durante a manhã, eles entravam pelos canais do rio e procuravam, entre esgoto não processado e carcaças de animais, por pequenos tesouros.

8. “Despertador humano”

Esta era uma profissão comum na Inglaterra e Irlanda durante a Revolução Industrial, antes da criação de despertadores confiáveis. O trabalho da pessoa era acordar as pessoas no horário para que elas pudessem chegar ao trabalho na hora certa, exatamente como um despertador comum. Em vez de utilizar sons, eles usavam uma madeira comprida e leve (como um bambu) para cutucar as pessoas pelo lado de fora de suas casas. A pergunta que não quer calar é: quem acordava a pessoa que acordava os outros?

7. Médico de sapos
Os médicos de sapos eram uma espécie de feiticeiros de uma tradição ligada à medicina tradicional que existia na Inglaterra até o fim do século XIX. O maior trabalho destes médicos era para curar a escrófula, uma doença de pele ligada à tuberculose. O tratamento era feito ao colocar um sapo vivo ou uma perna de sapo dentro de um saco de tecido, que era deixado sobre o pescoço do paciente. Para realizar este trabalho, o médico precisava de uma enorme criação de sapos ou uma boa habilidade para encontrá-los.

6. Chicoteador de cachorros

Este trabalho era desempenhado por algum empregado da Igreja, com a missão de remover cachorros indesejados da propriedade da Igreja enquanto as missas eram realizadas. Durante os séculos XVII até XIX, não era incomum que os cães de estimação acompanhassem seus donos à igreja. Caso algum cachorro incomodasse a solenidade, o chicoteador tirava o animal de dentro da igreja, para que a missa pudesse continuar.

5. Ladrões de corpos

Com a expansão das escolas de medicina no Reino Unido do século XIX, corpos humanos eram necessários para os estudos, e como roubar um corpo era um crime leve, passível de multa, apenas, isto se tornou uma tarefa comum e muito rentável. Os ladrões de corpos cavavam túmulos com pás de madeira, mais silenciosas, e retiravam o corpo com a ajuda de cordas. Geralmente eles não levavam roupas e jóias, já que isso poderia levar a condenações mais pesadas. Com o crescimento deste mercado e a exigência por corpos frescos, são conhecidos alguns casos de pessoas que passaram a matar outros para vender seus corpos.
Em 1832, uma resolução definiu que apenas corpos que não fossem reconhecidos no necrotério e aqueles doados por famílias deveriam ser usados nas aulas de anatomia, acabando com a prática de roubar túmulos.

4. Pisoteador

Pisar em uma pilha de roupas de lã não parece ser um emprego muito bom, não é mesmo? E não era mesmo. A técnica era utilizada para eliminar óleos, sujeiras e outras impurezas da lã, além de deixá-la mais grossa. Na antiguidade, os trabalhadores que faziam isso geralmente eram escravos, como na Roma antiga. Os escravos ficavam com urina e roupas até a altura dos calcanhares, já que a urina era uma boa fonte de sais de amônia, importantes para a limpeza do tecido. Na época medieval, novas substâncias, que não precisavam de urina, passaram a ser utilizadas no processo, deixando o trabalho um pouco mais digno.

3. “Capacho” de príncipe
Nos séculos XVII e XVIII, havia uma vaga de trabalho para garotos da alta classe: virar uma espécie de “capacho” do príncipe. Quando o filho do rei ia mal nos estudos ou fazia algo de errado, este outro garoto, que convivia com o príncipe, era punido com chicoteadas. Isso acontecia porque acreditava-se que ninguém além do próprio rei deveria ter o direito de maltratar seu filho. Como os reis raramente estavam presentes para castigar os filhos, essa posição de “trabalho” surgiu.
Como o príncipe e o seu companheiro eram criados juntos desde a infância, era comum que fosse criado um laço muito forte entre os dois, ajudando na educação e no bom comportamento dos príncipes, que queriam evitar que seu companheiro fosse punido por seus erros.

2. Camareiro de privada
Os monarcas ingleses tinham um servo que tinha a tarefa de limpar o rei depois que ele defecasse. Sim, isso mesmo que você está imaginando. Esta tarefa, surpreendentemente, era realizada por filhos de nobres e importantes membros da sociedade. Com o tempo, a tarefa passou a ser acompanhada por outras obrigações mais comuns, como ajudar em aspectos administrativos. Apesar de ser um “limpador de bundas” oficial, esta era uma tarefa muito desejada, já que conseguia um acesso quase irrestrito à atenção do rei.

1. Removedor de excrementos
Na Inglaterra medieval, havia um profissional específico para remover excrementos das privadas e fossas. Eles só podiam trabalhar à noite, e os excrementos coletados deveriam ser levados para fora do território da cidade. Devido ao forte cheiro dos excrementos, existem relatos de legistas que afirmam que alguns desses trabalhadores morreram de asfixia.
Como o uso do saneamento básico a terrível profissão desapareceu.


Fonte:http://hypescience.com/21700-os-10-empregos-mais-bizarros-da-historia/

Faça ferrofluído em casa , com materiais fáceis de encontrar

O ferrofluido é uma substância muito interessante, formada por partículas de ferro suspensas em óleo. Ele é utilizado para selar hermeticamente buracos em máquinas, e também para resfriar caixas de som, por exemplo, além de várias outras aplicações. Mas o interesse doméstico no ferrofluido existe porque a substância causa efeitos visuais incríveis quando entra em contato com um imã.
As partículas de óxido de ferro presentes no líquido se ligam fortemente às moléculas de óleo, impedindo que o ferro e o líquido se separem. Quando entram em contato com um campo magnético, as forças presentes no ferrofluido “lutam”: o ferro quer se aproximar do imã, enquanto o óleo fica no lugar. Essa disputa por um lugar cria picos na substância.
O ferrofluido pode ser comprado, mas é extremamente caro para ser usado para simples diversão em casa. Por isso, vamos ensinar um meio caseiro para produzir o ferrofluido. Não deixe de nos contar a sua experiência depois!
Para fazer o ferrofluido:
500 ml de acetona
10 fitas cassete ou 4 fitas VHS
5 ml de óleo de cozinha
Um imã
Primeiro, você precisará destruir as fitas, então tome cuidado para não escolher a fita com as gravações do seu casamento, por exemplo. A experiência utiliza apenas a fita flexível.
Depois, coloque as fitas dentro de um balde com a acetona e espere por algumas horas. Para que a acetona não evapore, tampe o recipiente.
O próximo passo consiste em separar o óxido férrico do líquido da acetona. Embrulhe o imã com um papel e passe no recipiente, coletando o ferro e colocando em outro lugar.
Misture o óxido férrico separado com o óleo, e pronto! Use um bom imã para ver os efeitos visuais do ferrofluido e divirta-se!

Fonte:http://hypescience.com/21761-sapo-com-presas-e-outras-especies-bizarras-sao-descobertas/

Uma fortuna pode estar escondidas em velharias

O homem que comprou uma cópia oficial da declaração da independência dos EUA por quatro dólares.
Um homem, que não foi identificado, comprou uma pintura antiga por quatro dólares (sete reais) em um sebo em Admstown, Pensilvânia, seu principal interesse era a moldura. Quando chegou em casa tirou a tela e concluiu que a velha moldura não tinha reparo, mas encontrou uma das 500 cópias oficiais da Declaração de Independência dos EUA, dobrada e oculta no forro traseiro.A cópia é nítida, com bordas limpas e marcas só nos locais onde foi dobrada. Foi impressa por John Dunlap, em 4 de julho de 1776 para comunicar a independência dos Estados Unidos aos cidadãos das 13 colônias. É um dos 24 exemplares conhecidos, e um dos três restantes propriedade de particular.O leilão do documento terminou com uma licitação de 2,42 milhões de dólares (4,34 milhões de reais) na casa de leilões Sotheby's. O comprador foi Donald J. Scheer de Atlanta, presidente da Visual Equities Inc.


A senhorinha que encontrou um cartão de beisebol de 140 anos.
Bernice Galego, uma californiana de 72 anos de idade, encontrou um raro cartão de beisebol da primeira equipe oficial dos Estados Unidos em sua casa. Se não fosse pela intervenção de amigos, Bernice teria vendido o cartão da Rede Stockings de Cincinnati por 10 dólares no eBay. O cartão foi leiloado por 75.285 dólares (135 mil reais).

O empreiteiro que descobriu 182 mil dólares (326 mil reais) no banheiro.
O empreiteiro Bob Cristóbal de Cleveland, Ohio descobriu 182 mil dólares (326 mil reais) (da época da grande recessão americana) escondidos em uma parede de banheiro. Cristóbal estava quebrando as antigas paredes de uma casa de mais de 83 anos localizadapróxima ao lago Erie em 2006 quando repentinamente descobriu dois cofres suspensos por nas paredes bem abaixo da caixinha de remédios. Ali dentro encontrou envelopes com o seguinte remetente "P. Dunne - Agência de Notícias". Agindo de maneira honesta contou imediatamente ao dono da casa sobre o dinheiro; que argumentou sobre a forma de repartirem o dinheiro. O assunto foi a parar no tribunal e o dinheiro foi entregue aos descendentes do dono original depois que o endereço encontrado no envelope foi rastreado.

A mulher que pagou 5 dólares (9 reais) por uma pintura de Pollock.
Jackson Pollock foi um grande pintor americano considerado um mestre do expressionismo abstrato.Teri Horton uma caminhoneira aposentada amava fazer compras em lojas de segunda mão, já tinha percorrido todo o país comprando nestas lojas. Em 1990 entrou em uma na Califórnia que mudaria a sua vida para sempre. Bem na parte do fundo da loja Teri encontrou uma pintura que ninguém queria, na verdade nem ela gostou muito, mas pensou que seria um bom presente para um amigo que estava deprimido. Inclusive ao pagar o quadro ainda pechinchou com a balconista:- "Olha só pago 5 dólares por este quadro. É pegar ou largar..."O plano era tomar uma cerveja com os amigos e depois atirar dardos no quadro. Se não fosse por uma amiga que nesse momento saia com um professor de arte, o quadro teria virado lixo ou tapete. No momento que o professor de arte exclamou:- "...uchh, parece me que tem um Jackson Pollock em suas mãos".Ao que ela respondeu:- "Mas que c@ralho é este tal Jackson Pollock?"A pintura está avaliada em 50 milhões de dólares (89,6 milhões de reais).

O colecionador que encontrou 200 mil dólares (358 mil reais) em moedas de ouro. Jeff Bidelman, o proprietário de uma loja de obejtos colecionáveis em Johnstown, estava ajudando uma família com a limpeza de uma casa que estava abandonada havia mais de vinte anos. Justo quando se encontrava puxando um saco cheio de velhas moedas, viu um buraco no teto do andar superior. E quando este andar foi derrubado, uma montanha de moedas de ouro veio abaixo também. Estima-se que o valor real das moedas é de 200 mil dólares (358 mil reais).

O estudante que encontrou uma pintura de 27 mil dólares (48,4 mil reais) escondida em um sofá.
Um estudante alemão comprou um sofá cama por 215 dólares (385 reais) em um sebo em Berlim e encontrou uma pintura com um valor 100 vezes maior do que tinha pago escondida no sofá. Segundo a casa de leilão Kunst Kettler a pintura a óleo foi vendida por 27.630 dólares (49 mil reais) em um leilão de arte de Hamburgo. "Preparação para escapar do Egito" foi pintado por um artista anônimo muito próximo ao veneziano Carlo Saraceni entre 1605 e 1620.

– O homem que comprou um quadro por 30 dólares que valia 1,2 milhões de dólares.
Um funcionário de uma empresa em Indiana gastou seus últimos 30 dólares (54 reais) comprando algumas peças de decoração usadas e uma pintura antiga de arranjos florais e ao chegar em casa decidiu estrategicamente pendurar o quadro para cobrir um buraco na parede.Alguns anos depois, ele estava jogando Masterpiece, um jogo de tabuleiro em que os jogadores tentam se superar um ao outro dando lances em obras de arte em um leilão. Tal foi sua surpresa ao ver que um dos cartões apresentava um quadro de flores que se parecia muito com o que ele tinha em casa. Ao buscar informações descobriu que a pintura era similar em estilo ao trabalho de Martin Johnson Heade, um pintor norte-americano muito conhecido pelas paisagens e arranjos florais.Ele pediu então a uma galeria em Nova York especialista nas obras de Heade, para que dessem uma olhada em sua pintura. Eles verificaram que a obra de arte que cobria o buraco na parede, é de fato um quadro, até então desconhecido de Heade, uma vez nomeado Magnolias on Velvet Gold Cloth. Em 1999, o Museu de Belas Artes de Houston comprou o quadro por 1,2 milhões de dólares (2,15 milhões de reais).

Fonte: mdig

Um cientista considera que em 20 anos seremos imortais

Os avanços tecnológicos e genéticos estão acontecendo a tal ritmo que em 20 anos teremos em nossas mãos os conhecimentos em nanotecnolologia necessários para prolongar indefinidamente nossas vidas. Assim crê Ray Kurzweil, um escritor e cientista estadunidense especializado em ciências da computação e em Inteligência Artificial.
Ele considera que em duas décadas seremos capazes de reprogramar nossos corpos e substituir qualquer de nossos órgãos vitais por outros criados artificialmente. Em sua opinião, exércitos de nanobots circularão pelo interior de nossos corpos e velarão por nossa saúde, permitindo que, por exemplo, as pessoas que sofram ataques de coração possam dirigir até seus centros hospitalares com tranqüilidade enquanto estas minúsculas máquinas se encarregam das manter vivas até então.
Fonte: mdig

100 sucessos do youtube

Transplante de fezes

A bacterioterapia fecal é usada para problemas inflamatórios do sistema digestivo, como colite ulcerativa. O tratamento é realizado com vários enemas (lavagens intestinais) dados ao paciente durante cinco dias. Curiosamente, o tratamento requer um “doador” de fezes, geralmente um parente do paciente.
As fezes da pessoa saudável são transformadas em líquido e inseridas pelo ânus do paciente. Basicamente, as bactérias presentes nas fezes da pessoa saudável devem crescer no corpo do paciente e curá-las.
Para piorar ainda mais o tratamento, às vezes ele pode ser inserido através do nariz do paciente.

Outros tratamentos estranhos:http://hypescience.com/21847-os-10-tratamentos-medicos-mais-bizarros/

Ignobel experimentos bizarros

10. Massagem retal cura soluços: ganhadora do Ig Nobel de medicina em 2006
Este estudo, publicado em 1988, afirma que uma massagem retal é muito mais eficiente do que tomar um copo d’água para curar soluços persistentes. Não se sabe com certeza se o “tratamento” deve ser administrado sem aviso para maior efeito. Ok, brincadeiras à parte, talvez este tratamento seja mais rápido e com menos efeitos colaterais do que os fortes antiespasmódicos indicados para o tratamento tradicional para este problema.

9. Pinguins antárticos podem defecar a uma distância de 40 centímetros: ganhadora do Ig Nobel de dinâmica dos fluidos em 2005
Esta pesquisa, publicada em 2003, pretendia analisar a pressão produzida pela defecação de pinguins. Os pesquisadores não conseguiram determinar se o pássaro escolhe deliberadamente a direção das fezes ou se a direção tomada pela defecação depende do vento e de outros fatores. O estudo termina afirmando que seria necessária outra expedição à Antártica para ter certeza disso. Vamos ver se alguém irá financiar essa segunda fase de pesquisas!

8. Patos podem ser necrófilos homossexuais: ganhadora do Ig Nobel de biologia em 2003
O estudo, publicado em 2003, analisa a vida sexual do pato-real. A pesquisa chega a descrever uma cena em que um pato morto é atacado sexualmente por outro macho.

7. Taxas de suicídio são ligadas à quantidade de música country que toca no rádio: ganhadora n do Ig Nobel de medicina em 2004
O estudo, publicado em 1992, pesquisou o efeito da música country sobre a quantidade de suicídios nos Estados Unidos. Se você nunca gostou de música country e não sabia por quê, aqui está a resposta: ela simplesmente faz as pessoas odiarem a própria vida!

6. Pulgas de cachorros pulam mais alto de pulgas de gatos: ganhadora do Ig Nobel de biologia em 2008
Este intrigante e importante estudo, publicado em 2000, descobriu que as pulgas caninas pulam mais alto que as felinas. Mas pense bem: a pesquisa não é completamente inútil, já que você pode saber que, tendo um cão, você pode ser mordido por pulgas mais facilmente.

5. Dançarinas eróticas recebem gorjetas maiores quando ovulam: ganhadora do Ig Nobel de economia em 2008
Essa pesquisa deve ter tomado muito tempo e trabalho dos pesquisadores, que tiveram que se inserir no difícil mundo das dançarinas eróticas para tirar esta conclusão incrível sobre a ovulação feminina!

4. Ratos não distinguem diferença entre a língua japonesa e o holandês falados de trás para a frente: ganhadora do Ig Nobel de linguística em 2007
Em respeito aos pesquisadores, admitimos que eles estavam tentando estabelecer similaridades entre crianças humanas e filhotes de outros mamíferos, na tentativa de entender as origens evolucionárias da fala. Mesmo assim, o que eles fizeram foi afirmar que ratos não entendem japonês de trás para a frente.

3. Extrato de baunilha pode ser retirado de esterco de vacas: ganhadora do Ig Nobel de química em 2006
Ok, pode ser que o extrato possa ser retirado desta origem bastante incomum, mas quem iria comer isso? Em homenagem à pesquisa, uma sorveteria em Massachusetts, nos Estados Unidos, criou um sabor especial com este extrato. Não sabemos quanto sucesso o novo sabor fez.

2. Por que pica-paus não têm dores de cabeça: ganhadora do Ig Nobel de ornitologia em 2006
Pensando bem, esta é uma pesquisa que responde a uma questão curiosa, no mínimo. Pica-paus batem a cabeça em árvores para viver e não sofrem com danos cerebrais e no crânio. Os cientistas desta pesquisa descobriram que isso acontece porque o cérebro desses pássaros fica bem preso no crânio, e eles têm uma superfície cerebral mais macia, para maximizar a área de impacto.


1. Mosquitos da malária são atraídos por queijo limburguer tanto quanto pelo odor de pés humanos: ganhadora do Ig Nobel de biologia em 2006
Publicada em 1996, esta pesquisa quase acaba com a necessidade de passar repelente de insetos em suas viagens. Você só precisa pendurar um pedaço de queijo na sua barraca e não se preocupe mais! Ok, não leve isso a sério e sempre passe repelente em lugares com suspeita de malária, independente do que essa pesquisa diz.

Fonte:http://hypescience.com/21927-ig-nobel/

Homem com maior nome

Wolfe­schlegel­stein­hausen­berger­dorff nasceu em Bergedorf, Alemanha, em 29 de fevereiro de 1904. Ainda na mocidade emigrou para os Estados Unidos, se instalando na Filadélfia onde se tornou um "renomado" compositor na época. Ele tinha o nome mais longo do mundo e por isso era conhecido com Sr. Wolfe+585, Senior. 585 representa o número de letras adicionais ao seu sobrenome. O nome tinha na totalidade 746 letras:
Adolph Blaine Charles David Earl Frederick Gerald Hubert Irvin John Kenneth Lloyd Martin Nero Oliver Paul Quincy Randolph Sherman Thomas Uncas Victor William Xerxes Yancy Zeus Wolfe­schlegelstein­hausenberger­dorffvoraltern­waren­gewissenhaft­schaferswessen­schafewaren­wohlgepflege­und­sorgfaltigkeit­beschutzen­von­angreifen­durch­ihrraubgierigfeinde­welche­voraltern­zwolftausend­jahres­vorandieerscheinen­wander­ersteer­dem­enschderraumschiff­gebrauchlicht­als­sein­ursprung­von­kraftgestart­sein­lange­fahrt­hinzwischen­sternartigraum­auf­der­suchenach­diestern­welche­gehabt­bewohnbar­planeten­kreise­drehen­sich­und­wohin­der­neurasse­von­verstandigmen­schlichkeit­konnte­fortplanzen­und­sicher­freuen­anlebens­langlich­freude­und­ruhe­mit­nicht­ein­furcht­vor­angreifen­von­anderer­intelligent­geschopfs­von­hinzwischen­sternartigraum, Senior.Seu nome chamou a atenção pela primeira vez quando apareceu na lista telefônica da Filadélfia na página 1292 e depois em uma ordem judicial de 25 de maio de 1938 no caso "Wolfe­schlegel­stein­hausen­berger­dorf, Jr. etc., versus Companhia de Táxi" que foi resolvido porque ninguém conseguia pronunciar o seu nome. Seu filho, Hubert Blaine Wolfe­schlegel­stein­hausen­berger­dorff, Jr., que nasceu na Filadélfia em 1952, só conseguiu pronunciar o sobrenome dele quando tinha 3 anos.O Sr. Wolfe+585, Senior se recusava a pagar as contas que vinham com seu nome grafado errado e em 1964, o porta-voz da John Hancock Mutual Life Insurance Co. disse que seu computador IBM 7074 tinha capacidade de processar um milhão de dados, mas que não tinha como registrar o nome do Sr. Wolfe+585 e por isso sua apólice do seguro de vida foi a única preenchida a mãoSeu nome constou de todas as edições do Guinness Book dos Recordes de 1975 até 1985 como o nome pessoal mais longo, onde ele aparecia em uma fotografia na frente de uma marquise em Nova Iorque que exibia seu nome, uma vez mais escrito de forma errada.Ainda não é sabido se havia pedra suficiente nos EUA para fazer uma lápide com o nome completo do Sr. Wolfe +585, Senior.

Fonte: mdig

Tirinhas