boobox

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Partes de personalidades já mortas que estão pelo mundo

A cabeça de São Boaventura - Famoso teólogo e filósofo católico, perdeu a cabeça após trezentos anos de sua morte. Em 1562 sua tumba foi saquelada e a cabeça do santo arrancada do corpo. Envolvida numa complicada guerra entre católicos e protestantes, o corpo do santo foi queimado em praça pública, mas a cabeça, incrivelmente bem preservada, foi mantida em segredo por fiéis até a Revolução Francesa, quando desapareceu para nunca mais ser vista.

O cérebro de Paul Broca – Num dos recantos menos freqüentados do Museu do homem em Paris, estão centenas de vidros e garrafas contendo cérebros. Ali estão preservados cérebros de intelectuais, ladrões, músicos e celebridades. Um deles, talvez o mais curioso seja o do médico e antropólogo Paul Broca, considerado o pai da moderna cirurgia cerebral.

O dedo de Galileu - O famoso astrônomo morreu em 1642, mas seu corpo não foi sepultado em seu local de descanso final até 1737. Durante a transferência do corpo para um mausoléu na Igreja de Santa Croce em Florença, um intelectual de nome Anton Francesco Gori cortou o dedo médio de Galileu para guardá-lo como lembrança. Depois de passar por vários proprietários, o dedo mais famoso do mundo foi adquirido pelo museu da História da Ciência de Florença, onde está numa vitrine, apontando para o céu.

O cérebro de Eisntein – Todos pensavam que o cérebro de einstein poderia ser o maior cérebro do século XX. Graças a esta idéia, quando morreu o gênio cientista foi privado do órgão, por pedido do próprio Einstein, para que após sua morte seu cérebro pudesse ser estudado para a posteridade. O cérebro de Einstein que não era maior e nem menor, e nem mais pesado que o de um adulto com suas dimensões, foi seccionado e fatiado em varias partes. Após ser fotografado o cérebro do cientista foi divido em 240 pedaços, que foram remetidas para várias universidades. Até hoje não se sabe do paradeiro de vários desses blocos. Estima-se que alguns deles estejam perdidos em coleções de patologia, em meio a outros de pessoas menos influentes. Após estudos dessas partes, descobriu-se que os lobos parietais de Albert Eisntein eram anormalmente grandes.

O cabelo e o dente de George Washington - Em 1793, George Washington presenteou John Trumbull, seu ajudante de campo com um medalhão contendo uma mecha de seu cabelo. Ao morrer, Trumbull legou a mecha a um primo de George Washington, que por sua vez passou para sua família, como uma espécie de relíquia. O dente foi dado ao dentista John Greenwood para que ele usasse como referência para fabricar uma dentadura para Washington. Naquele tempo, as dentaduras eram formadas em sua maior parte por dentes esculpidos. Os novos dentes de George Washington teriam sido feitos com presas de hipopótamo ou com marfim africano.

O Pênis de Napoleão Bonaparte - em 1972 a famosa Christie’s tentou leiloar o órgão genital do monarca, originalmente subtraído pelo médico que fez sua autópsia. O valor mínimo era US$ 2 500, mas ninguém se interessou. Em 1977 um urologista norte-americano adquiriu o pênis de 2.54 cm por US$ 3 800. Curiosamente, o órgão é minúsculo. Especula-se que Napoleão sofresse com micopênis, o que indica que seu órgão sexual era de tamanho compatível com o de uma criança, mesmo após adulto.
Segundo urologista que adquiriu o penis, em vida, ele media apenas 4,1 cm (descanso) e alcançaria em seu auge de excitação, a marca de 6,6 cm.

Fonte:http://www.mundogump.com.br

Nenhum comentário: