boobox

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Novas descoberta sobre o sexo


Sexo cheira: O suor de um homem tem um odor diferente quando está sexualmente excitado, e as mulheres sabem dizer a diferença entre o cheiro do suor “sexual” e o normal, de acordo com um estudo divulgado no The Journal of Neuroscience.

Coito interrompido funciona: Bem, na maior parte das vezes. Em um artigo publicado na edição de junho da revista Conception, cientistas descobriram que o coito interrompido é “quase tão efetivo quanto os preservativos masculinos” no que se refere à prevenção da gravidez (uma taxa de falha de 18%, contra 17% das camisinhas).

Brincadeira de criança: Um estudo da Iowa State University descobriu que 25% das crianças (de 11 a 16 anos) de famílias de baixa renda relataram que fazem sexo. A média de idade da primeira transa naquele grupo era de 12 anos.

As dores do crescimento: De acordo com um estudo da Universidade de Turim, extensores de pênis podem funcionar – uma marca em particular que usa tração gradual para esticar o pênis ao longo do tempo. Foi descoberto que ela é capaz de aumentar o comprimento do membro flácido em quase uma polegada (2,54 cm).

A busca do prazer: Homens que são sexualmente ativos demais dos 20 aos 40 anos – especialmente os que se masturbam com frequência – têm um risco maior de adquirir câncer de próstata, segundo pesquisadores da Universidade de Nottingham. Mas esse risco diminui à medida que o homem envelhece, e – uma vez que ele está com 50 anos ou mais, justamente pequenos níveis de atividade sexual podem ajudar a protegê-lo da doença.

Ainda não: De acordo com uma pesquisa publicada no Journal of Theoretical Biology, mulheres que resistem ao sexo estão agindo por um impulso biológico para encontrar fornecedores mais adequados – e os homens estão esperando para provar que eles estão à altura do desafio.

Inversão de papéis: Os homens se sentem mais culpados após infidelidade sexual, enquanto que as mulheres se sentem pior depois de uma transgressão emocional (como se apaixonar por outra pessoa). O estudo mostra também que eles tendem a perdoar mais a infidelidade sexual da parceira, e menos a emocional, enquanto que elas sairiam do relacionamento sem pestanejar mais provavelmente no caso de o parceiro ter feito sexo com outra. A pesquisa, que é da St. Mary’s University (de Halifax, Canadá), contrariou todas as hipóteses dos cientistas, que achavam que seria justamente o oposto em todos os aspectos citados.

Fonte:http://hypescience.com/25603-as-9-descobertas-cientificas-sobre-sexo-mais-instigantes-de-2009/

Nenhum comentário: