boobox

domingo, 21 de dezembro de 2008

Casos de pessoas que se auto operaram


Dr. Evan O´Neill Kane
O que ele fez: Operou o apêndice e uma hérnia ignial sozinho
Dr. Evan era um médico bastante conhecido e acreditava que a anestesia geral era uma mera frescura, totalmente desnecessária para “pequenos procedimentos”. Então ele resolveu operar a si mesmo, abrindo a própria barriga e tirando o próprio apêndice, apenas com uma anestesia local. O cara fez isso olhando com um espelhinho. Ele pediu que médicos colegas ficassem assistindo, para caso algo “desse errado” e só aceitou ajuda para a suturação pós cirúrgica. (costurar a si mesmo olhando pelo espelhinho dava muito trabalho)
Não foi só isso. Quando chegou aos 70 anos, Evan resolveu se operar novamente, abrindo a barriga outra vez sem cirugia geral e efetuou um procedimento médico muito mais complicado e arriscado, que era reparar uma hérnia ignial. Devido ao risco do procedimento em função da proximidade com a artéria femoral, o Dr. Evan tomou muito cuidado, mas mesmo assim conseguiu terminar a cirurgia em menos de duas horas.

Deborah Sampson

O que ela fez: Ensinou ao Rambo como tirar uma bala do próprio corpo
Deborah Sampson era mulher, mas era tão grande, forte e esquisita que mais parecia um homem. Em 1782 ela se alistou no exército com o nome de Robert Shutleff. Contrariando todas as possibilidades, esta mulher ficou anos no exército, pois todo mundo realmente pensava que “Robert” era um cara. Ninguém se ligou que ele não fazia a barba e não tomava banho junto com a galera. Mas sabe como é a lei de Murphy? Um dia em batalha, Deborah-Robert foi ferida com um tiro na coxa. Ela foi retirada do campo de batalha e enviada para o hospital. Quando acordou no caminho e percebeu que estava indo para o hospital de campanha e concluiu que os médicos descobriram seu segredo. Daí ela fugiu e se refugiou longe do hospital, onde usou agulha e linha de pregar botões e um canivete para abrir a própria perna e tirar a bala de chumbo lá de dentro. Sem anestesia! Debora suturou a própria perna e voltou para a caserna. Tempos depois ela foi ferida novamente e o médico descobriu que Robert era na verdade uma mulher feia. O médico denunciou o caso e ela foi expulsa do exército, mas isso não impediu que ela e seus descendentes recebessem uma pensão militar.

Joannes Lethaeus
O que ele fez: Litotomia (algo que só Chuck Norris consegue fazer)
Há 360 anos atrás, o Dr. Nicolaes Tulp escreveu em seu livro sobre um caso tão escalafobético que entrou para a história da Medicina:
Basicamente o cara tinha uma formação de cálcio gigante do tipo pedra nos rins - uma das coisas que mais doem na face da Terra - e a pedra era grande demais para sair por “vias naturais”. Assim, ele resolveu usar o método não ortodoxo e despachando a mulher para o mercado, com a ajuda do irmão, usou uma faca de cozinha para cortar a pele atrás do testículo e foi cortando -sem anestesia- cada vez mais fundo até chegar na bexiga. O cara alargou o buraco a tal ponto que conseguiu enfiar dois dedos dentro da própria bexiga, agarrou a pedra, que era tão grande quanto um ovo de galinha e com algum esforço, retirou-a de lá na maior ignorância. Posteriormente, ele teve que ser suturado sem os equipamentos médicos necessários ou conhecimento para tal. E conseguiu!

Simpson Parker
O que ele fez: Amputou o próprio braço
Simpson Parker era um fazendeiro da Carolina do Sul que estava pilotando uma colhedeira de milho em sua fazenda quando viu que estava acontecendo um problema com a colhedeira. Ele subiu no equipamento com ele ainda funcionando para tentar solucionar quando os rolos que capturavam o milho agarraram sua luva e então sua mão, esmagando-a. Parker entrou em desespero ao ver que a colhedeira estava tragando-o para dentro dela. Com seu braço livre Parker conseguiu agarrar uma barra de ferro e enfiou a mesma no mecanismo de corrente da maquina, impedindo-a de esmigalhar todo o braço dele. Ele gritou por socorro durante muito tempo, mas naquele lugar era impossível que alguém o ouvisse. A maquina continuou funcionando mas a barra impediu a corrente de girar. Então ela superaqueceu e começou a soltar faíscas. As faíscas atingiram o milharal seco e um grande incêndio começou a se formar.
Enquanto isso, Parker estava com o braço esmigalhado e agarrado na trituradora. Ele lutou para se libertar mas foi impossível. O incêndio começou a aumentar rapidamente e Parker caiu na real que iria morrer se continuasse ali. Com a mão livre ele pegou o canivete da cintura e usou os dentes para abri-lo. Sem dó nem piedade ele cravou a faca em si mesmo e começou a cortar tendões, musculos e finalmente o osso do braço para conseguir se soltar da colhedeira. O fogo começou a liberar muito calor e a pele de Parker começou a fritar. Ao chegar no osso, Parker viu que não conseguiria cortá-lo. Quase desmaiando com a dor do braço esmagado e das queimaduras do fogo, ele decidiu jogar seu peso contra o braço, de modo que o osso estalou e quebrou em uma fratura horrível. Parker caiu no chão sem o braço. Estava livre da maquina. Ele correu pelo milharal queimado e com o membro esguichando sangue anté chegar na caminhonete e ainda dirigiu por um longo trecho até chegar na estrada. Atravessou o carro na pista na frente de um automóvel e pediu ajuda. O homem ligou para a emergência e um helicóptero chegou em minutos e o levou para o hospital, onde Parker passou por cirurgias e ficou um mês num centro para queimados antes de ir para casa.


Inês Ramírez
O que ela fez: Cesariana em si mesma.
Basicamente ela estava grávida e vivia numa localidade rural de dificil acesso. A mulher de 40 anos entrou em trabalho de parto e não havia médico nem ninguém para ajudá-la. Depois de 12 horas de dor intensa, ela resolveu que iria fazer ela mesma o parto. Inês pegou uma faca de cozinha, tomou um trago de bebida como anestésico e “resolveu tudo” cortando a própria barriga para retirar o bebê. Ela tirou o bebê, usou uma velha tesoura para cortar o cordão umbilical e logo depois desmaiou. Quando recobrou a consciência ela pediu que o filho de 6 anos corresse para buscar ajuda. O bacuri correu meio mundo até chegar num lugar e pediu ajuda. Horas depois o enfermeiro da localidade apareceu e eles levaram a mulher mais o bebê para o hospital mais próximo (8 horas de carro sacolejando numa estrada esburacada) onde os médicos tiveram que tratar dos problemas decorrentes da auto-cesariana, pois no processo ela acabou cortando os intestinos. Algum tempo depois ela saiu do hospital e se recuperou completamente. Estima-se que este seja o único caso no mundo de uma auto-cesariana que não acabou em morte. O caso foi publicado na edição de março de 2004 do International Journal of Obstetrics and Gynecology.
Mais casos : http://www.naosalvo.com.br/vc/top-10-malucos-que-resolveram-se-auto-operar-sim-voce-nao-leu-errado/

Nenhum comentário: