boobox

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Alcides Moreno sobrevivente de uma queda de 47 andares 167 metros

NOVA YORK - Alcides Moreno caiu de uma altura de 47 andares naquela manhã de dezembro 2007 , pendurado em sua plataforma de lavagem de janelas com 90 centímetros de largura quando ela despencou . Seu irmão Edgar,que estava trabalhando com ele na plataforma, morreu. De alguma forma, Alcides Moreno sobreviveu.
Ele recebeu aproximadamente 14 litros de sangue e 11 litros de plasma e foi submetido a uma operação para abrir seu abdômen numa sala de emergência porque seu médico não quis se arriscar a movê-lo para uma sala de operação. Ao longo do mês de dezembro, ele sofreu nove operações ortopédicas. Mas, de alguma maneira, Alcides Moreno sobreviveu.
Em seu quarto de hospital, em meio a todas as máquinas que ajudaram a mantê-lo vivo, sua esposa, Rosario Moreno, ergueu a mão dele vezes sem conta para encostar em seu rosto e seu cabelo, esperando contra todas as esperanças que uma simples sensação tátil o faria se lembrar, ajudaria a trazê-lo de volta.
Aí, no Dia de Natal, Alcides Moreno estendeu o braço - e tocou no rosto errado. Aparentemente ele tentou fazê-lo em uma das enfermeiras", disse Rosario na quinta-feira, descrevendo como ela brincou com ele, gentilmente, quando lhe contaram o que havia acontecido. "Olhei para ele e disse, ´Você não devia fazer isso. Eu sou a sua mulher, toque na sua mulher.`"
Pela primeira vez desde o acidente em 7 de dezembro, ele falou. "Ele se virou e, em inglês, disse, ´O que foi que eu fiz?`" disse ela. "Isso me espantou porque não sabia que ele podia falar."
Rodeada por médicos que ajudaram a salvar seu marido, Rosario contou sua história numa coletiva à imprensa em que profissionais médicos com longos anos de experiência no tratamento de lesões traumáticas usaram palavras como "milagroso" e "sem precedente" para descrever algo que parece notável: um homem que despencou por 167 metros até um beco de Manhattan agora está falando e, com um pouco mais de sorte, mais algumas operações e uma terapia de reabilitação, poderá perfeitamente vir a andar de novo.

Nenhum comentário: